segunda-feira, 30 de março de 2009

Há dias...que fazem a vida valer a pena...

Dia 28 de Março pelas 16h30m teve lugar a apresentação do meu livro “Domador de Palavras” no auditório do Campo Grande.
Quero hoje aqui expressar os meus agradecimentos a todos os que me ajudaram nesta minha aventura, foi um momento único daqueles que fazem a vida ter um sentido muito especial...
Aqui deixo algumas imagens do acontecimento

video

Inicio da apresentação


Decorrer da apresentação


Sessão de autógrafos


Fénix e Ana Oliveira (poetiza que apresentou brilhantemente a obra e o autor)

Fénix e a Pequena Fénix...


Mais uma vez obrigado a todos por tudo o que me deram nesse dia...

Beijos e Abraços
Das Chamas do Fénix






sexta-feira, 27 de março de 2009

E chegou a hora...


Bem amigos, chegou a hora… amanhã pelas 16h a apresentação do meu livro irá ter lugar. Como mais do que uma apresentação, irá ser uma reunião de amigos vai correr tudo lindamente. Quero aqui desejar-vos a todos um feliz fim-de-semana e dizer aos que possam comparecer amanhã na apresentação, um simples até amanhã amigos.

Beijos e Abraços
Das Chamas do Fénix

sábado, 21 de março de 2009

Feliz dia aos Poetas...à Poesia e aos que amam este sentir


Feliz dia mundial da poesia...


Beijos e Abraços
Das Chamas do Fénix

quinta-feira, 12 de março de 2009

A Garrafa


O sol estava forte, como há muito não se fazia sentir. O calor marcava a sua presença dando o mote aos sentidos para se elevarem na sua súmula existência...
Sentia-se o aroma a Primavera, um remoinho de vida consagrada num belo quadro vivo onde reinavam as cores mais exóticas que as nossas pupilas conseguem absorver, tomar para si.
No meio de tanta singular beleza, lá estavas tu ao fundo junto ao suave embate das ondas que teimavam em acariciar-te os pés desnudos com pequenos cristais de areia em frenesim na espuma branca de mar... o teu olhar fundido no horizonte remava contra a sua corrente ... tornavas aquele azul único no espelho da tua alma e tentavas encontrar o teu sorriso que um dia lá deixaste naufragar ...
Parecias aguardar, que o mar to devolvesse naquela garrafa nele jogada com um escrito de circunstância no seu interior, onde gravaste o meu nome com lágrimas de saudade, na esperança que o acaso ou o destino nos voltasse a unir.
Ritual de tantos dias desenhado na praia onde o tu e eu éramos nós, nos passeios em que cruzávamos aquele jardim de areia branca, perfumada pelo oceano onde deixávamos as nossas pegadas jogadas na efemeridade da próxima vaga.
A brisa que revolve as águas transfere as ondas para o teu cabelo transformando-o numa continuidade daquele verde profundo do atlântico, levantas e desenhas um coração na areia molhada e moldas um baixo-relevo da tua mão deixando o espaço para a minha que teima em não aparecer. Voltas costas e partes para regressares no dia seguinte reescrevendo a história uma e outra vez, um ciclo, uma corrente que não queres quebrar, que não podes quebrar como se sentisses que a tua vida dependesse disso.
Um certo dia a praia sentiu a tua falta, as gaivotas vieram para a costa para te procurar, aquela paisagem não era a mesma sem ti... o Sol alçou os seus braços no mais alto do mais alto para deixar todos os recantos iluminados, mas nem rasto de ti...
Triste o sol escondeu-se, deu lugar a uma onda de nuvens cinzentas que clamavam pela tua presença... e choravam a tua ausência. O mar rodopiou em estranha agitação revolveu todo o seu ser, gritou e gritou uma e outra vez o teu nome sempre que as ondas irrompiam violentamente contra aquelas rochas que marcavam a costa e nada...nenhum rasto de ti!
Um tímido raio de Sol embate em algo que parecia querer devolver a sua luz... um sinal...um apelo... curiosa a brisa passou, era a garrafa que parecia timidamente mostrar no seu interior algo. Então a brisa deu lugar ao vento senhor dos ares que norteou toda a sua pujança para aquele reluzente objecto que de tão fortemente projectado se quebrou... parindo algo do seu interior...
Uma última grande vaga conduziu aquele pedaço de esperança para o areal, toda a natura que tanto te amava ficou perplexa quando contemplou que onde existia antes um único nome, tinha surgido também o teu, estavam estranhamente entrelaçados pela tinta que entretanto se tinha dispersado pelo papel molhado.
A natureza abençoo aquela união especial honrando a sua memória, o Sol voltou a brilhar lá no alto iluminando o caminho final e a brisa entregou aquele singelo testemunho ao mar de onde tinha saído para aqueles dois nomes...dois sentires... dois amantes iniciarem um novo ciclo.

Beijos e Abraços
Das Chamas Do Fénix

domingo, 8 de março de 2009

Mulher...


Sopros, brisas clandestinas que me embriagam
Nas ausências impostas pela vida matreira.
Ares de vida em mim que me afagam …
Nas noites em que és nos meus sonhos a primeira!!!

As mãos que me descobrem sob os lençóis de cetim
As pernas que se cruzam… se amarram em frenesim
Os corpos que se fundem e confundem na cama…
Onde só entras tu mulher que pelo meu corpo clama!!!

Carne que se metamorfoseia em dura natureza
Que se eleva e descende no ritmo da incerteza
Ao tempo que o sentir se transmuta em certeza
Nos traços contemplativos da tua airosa beleza!!!

A luz da Lua que te ilumina … me fascina
O nó dos teus braços que me ata.
A força da tua sedução que me domina…
Na sinfonia dos sons deste prazer que nos mata!!!

Gemidos lacrimejantes de seiva… aroma a cio
Escorrem… deslizam por mim… britam o som do vazio
Neste momento de perdição dos sentidos já esvaídos
Onde tu e eu repousamos juntos… em deleite pelo prazer unidos!!!

Sonho de sonhos caído das minhas pálpebras vencidas
Mulher de mulheres caída das minhas paixões não esquecidas!!!

Beijos e abraços
Das Chamas do Fénix

terça-feira, 3 de março de 2009

A minha Terra...


Hoje vou fazer de ti o meu mapa
Delinear as tuas raias... fronteiras
Vou fazer de ti a minha manta...minha capa
Que me abrigará das chuvas primeiras!!!

Vou trilhar as tuas sinuosas veredas
Descer teus vales...escalar tuas montanhas
Aquecer-me nas tuas chamas ... labaredas
Nesta jornada inóspita de figuras estranhas!!!

Descansar lá no alto dos teus montes...
Olhar em redor... traçar horizontes.
Mergulhar nos teus lagos de águas cristalinas
Comer fruta fresca na encosta das colinas!!!

Vou penetrar nas tuas grutas quentes... profundas.
Descer ao fundo... do mais fundo de ti.
Deixar-me afogar nos rios ... riachos em que me afundas
Cumprir todas as juras que um dia prometi!!!

Perder-me nos teus bosques ... tuas florestas
Limpar as tuas sendas... desbastar arestas
Subir ao alto do mais alto do teu mundo
Construir a minha pátria......segundo a segundo.


Ondeará no meu mastro a bandeira do teu corpo ... mulher rainha
Nação criada no teu chão... terra tua que agora também é a minha!!!

Beijos e Abraços
Das Chamas do Fénix

segunda-feira, 2 de março de 2009

Convite Oficial da Editora...

Confirmo aqui que me sentiria imensamente honrado e feliz com a vossa presença neste dia tão importante para mim...
Aproveito para agradecer de coração a todos os que me têm apoiado e felicitado por esta iniciativa.

Beijos e Abraços
Das Chamas do Fénix